Acabar com os reis

8 Xaneiro, 2016 (20:17) | política

Acabar com os reis, com absolutamente todos os reis do mundo: os reis com coroa de ouro na cabeça e os reis com coroa de puas no pénis ou com coroa de sangue na boca do fuzil ou com coroa de tinta na caneta ou com coroa de saliva machista na palavra. Acabar com os reis decrépitos e com os reis jovens, altos e modernos. Acabar com os reis tiranos amigos doutros reis tiranos. Acabar com os reis dos estados, com os reis das empresas, com os reis dos exércitos, com os reis das religiões, com os reis dos partidos, com os reis dos livros, com os reis das redes, com os reis das assembleias, com os reis das famílias, com os reis das alcovas, com os reis das drogas, com os reis das armas, com os reis dos prostíbulos. São todos o mesmo rei-deus que cultiva o domínio como única razão da sua existência. Acabar com todos os reis-deuses e com todos os deuses-reis, e com todos os sacerdotes e capos, com todos os imames e generais, com todos os talibães e magnates, com todos os nazis brancos e todos os rabinos sionistas de longas barbas como os pénis. Acabar com todos os deuses reis que matam, que levam toda a história masculina matando como os reis dos países que levam toda a história matando as suas esposas, escravas e criadas e as crianças das esposas, escravas e criadas. São todos os mesmos assassinos de vidas e igualdade. Acabar com todos os reis mágicos que trazem a desigualdade às crianças, com todos os Pais Natal de longas barbas como pénis, com todos os secretos Apalpadores de crianças agochados na escuridão da sancristia, da aula, do gabinete de secretariado, da ruela da discoteca, do leito familiar. Acabar com todos os reis violadores, desde os mais jovens, altos e modernos até aos mais fedorentos e decrépitos. São todos o mesmo violador de corpos, vidas e futuros, são todos o mesmo assassino de crianças. Acabar com todos os reis deuses das nações, das ciências, das finanças, das drogas, das balas, do sexo, da cultura, das grandes teorias como barbas. Acabar com todos os reis da poesia e da revolução: os que fumam longos puros como barbas ou pénis e os que assinam com longas penas os decretos das línguas e da estética. Acabar com os reis dos longos fuzis, dos longos cacetes, das longas facas como pénis com que assassinam, literalmente, milhares de pessoas cada dia.

Por isso, acabarmos, pola força do coração e da razão da História, com todos os reis reais e com os reis dissimulados, com absolutamente todos os impérios do privilégio masculino, das cozinhas aos palácios, dos ecrãs de videojogo às bolsas de valores, das assembleias de bairro aos estados, das aulas aos edifícios religiosos. Por isso, acabarmos com o princípio masculino do rei deus, essa totalitária deformidade que habita nas leis, nos livros, nas moedas, nas ideias, e da qual emergem sempre como fungos os patéticos reis humanos de todas as cores e de quase todas as ideologias para ocuparem a nossa vida com violência e com megalómanos enganos. São todos o mesmo rei-deus que cultiva a crueldade e o domínio como única razão da sua existência. Por isso, acabarmos duma vez, pola força da vontade do coração da História, com o cérebro masculino da morte.

Comentarios

Comment from MMA
Date: 14 14UTC Xaneiro 14UTC 2016, 08:52

Uai, sô… e sem o Rei de Copas, o Rei de Ouros, o Rei de Paus e o Rei de Espadas, para não falar na Rainha de Copas, a Rainha de Ouros, a Rainha de Paus e a Rainha de Espadas, como é que fica o baralho? Viiiixxx…
Feliz Ano Novo!
MMA