Category: cultura

Ideometria

19 Abril, 2015 (22:47) | classe, cultura, economia, mercado simbólico |

Há três maneiras em que o trabalho intelectual universitário atual se inscreve numa lógica muito distante do que ele pretensamente representa: mercantilização, disciplinamento, e calibração. De maneira interessante, a trabalhadora ou trabalhador intelectual resume e incorpora, no capitalismo especulativo do conhecimento, várias dimensões do mercado do capital, como um microcosmos dessa sanguenta ilusão. Mercantilização. A […]

A Morte do Sexénio (uma história)

8 Xuño, 2012 (18:13) | classe, cultura, ensino, mercado simbólico |

Hoje, na Universidade, alguém do meu corpo docente perguntou-me se eu tinha algum sexénio vivo. Precisava sabê-lo para colocar-me nalgum dos velhos lugares em que se baseia o saber universitário: os de acima, com vários sexénios vivos, e os de abaixo, seres asexeniados ou cujos sexénios, no nosso fértil eufemismo, não se chamam mortos não: […]

O “bajón” das línguas

21 Febreiro, 2011 (19:01) | cultura, língua, literatura, mercado simbólico, mudança linguística, práticas de fala, sociedade | 1 comment

“Estaba yo en un pub [en Coruña] … Y de repente le digo [al chico]: ‘Ah, no sabía que eras el primo de Tal’. Y me dice: ‘Sim, sou o primo de Tal’. Y digo yo (‘¡Habla gallego!’). Y me dio un bajón…”. Marta López, concursante do Gran Hermano espanhol, 2011. Essa tarde fresca de […]

Um mês sem Vieiros

27 Agosto, 2010 (23:45) | cultura, sociedade |

Em MundoGaliza • No Xornal de Galicia Às vezes, na rotina dos dedos e da mente que repetem velhas ações, como se a vida nos levasse a nós e não o contrário, diante deste ecrã que me visita, clico com antecipação na frase inscrita no meu computador que conduz a Vieiros, a esses velhos vieiros […]

Molesta

29 Outubro, 2008 (00:00) | cultura, língua |

Publicado em Novas da Galiza 72, p. 20 • No Portal Galego da Língua Recentemente teve lugar em Compostela a Sessão Inaugural da Academia Galega da Língua Portuguesa, cujo presidente é o professor José-Martinho Montero Santalha, especialista em literatura medieval (em literatura medieval galego-portuguesa, isto é, em literatura medieval). Esta Academia da Língua reúne e […]

Uma língua difícil para a Galiza

30 Setembro, 2008 (00:00) | classe, cultura, escrita, língua, mercado linguístico |

Publicado em Vieiros Polo pouco que sei sobre as relações entre essas abstrações que são “a língua” e “a sociedade”, qualquer língua escrita é muito difícil de dominar. Frente à fala, que se vai aprendendo como parte do processo de comunicação (que inclui outras cousas), a língua escrita acarreta anos de aprendizado formal, desde a […]

“Yo lo dispuse todo imagen tras imagen”

13 Xullo, 2008 (00:00) | cultura, língua, literatura, mercado linguístico |

Publicado em Vieiros Nunca esquecerei este verso de Álvaro Pombo, que me amartela inesperadamente igual que me amartela “and what remains is just the sense of getting older”, dum para mim incógnito John Koethe, ou “como enxotar a morte / esse animal sonâmbulo dos pátios da memória”, do nosso Eugénio de Andrade. Esqueci mais, sim, […]

De imagem, linguagem e identidades: Yolanda Castaño vs. Os Aduaneiros

18 Outubro, 2007 (00:00) | cultura, discurso, literatura |

Estes dias remexe parte da opinião pública galega a decisão do lugar web satírico-humorístico Aduaneiros sem Fronteiras na sequência de umas cartas do advogado da poeta Yolanda Castaño requerindo que eles retirassem uma animação “flash” sobre ela e uns comentários anónimos e públicos que Castaño considerou ofensivos. O que está em jogo neste assunto é […]

Estávamos aí

26 Abril, 2007 (00:00) | cultura, política |

Publicado em Vieiros Na comodidade da minha sala de estar, recebido polo sol intermitente, escuto e vejo à vontade comoventes fragmentos da gravação da homenagem a José Afonso que emitiu a TVG em 25 de Abril. Numa altura, o actor-apresentador Carlos Blanco, revestido das roupas e emblemas que há mais de trinta anos levávamos os […]

A cabeça de Ernesto Vázquez Souza

4 Marzo, 2007 (00:00) | cultura |

Publicado no Portal Galego da Língua Conheço pouco a pessoa, algo os livros, e muito a sua palavra recente (a palavra é sempre adversária dos livros), desde que ela nos invadiu nos foros onde estávamos a pascer tranquilamente no campo dos tópicos repetidos. Desde havia tempo Mário me falara ocasionalmente da sua cabeça, enquanto bebíamos […]