Category: escrita

Por um Galego Normativo do século XXI

23 Setembro, 2010 (00:00) | escrita, língua, mercado linguístico |

“Eu tamén sou lusista, Celso, pero entre nós; o pobo necesita unha grafía!” (Um indignado Francisco Fernández del Riego, em memorável encontro, década de 1990) Categorias sobre a escrita Verdadeiramente, as categorias sobre a língua formal escritas que os discursos hegemónicos utilizam são do mais falacioso, e amiúde não só contradizem a realidade, mas as […]

O Mito das Portas Singulares

9 Marzo, 2010 (00:00) | ensino, escrita, língua |

Em Facebook Para os mestres da escrita e da política No primeiro dia de escola, a estudante foi levada pelo mestre perante duas portas paralelas rotuladas “G” e “E” que davam para um jardim exterior. Primeiro o mestre deu-lhe uma grande chave antiga em forma de E, com elementos modernos. “Toma”, disse ele. “Com ela […]

Uma língua difícil para a Galiza

30 Setembro, 2008 (00:00) | classe, cultura, escrita, língua, mercado linguístico |

Publicado em Vieiros Polo pouco que sei sobre as relações entre essas abstrações que são “a língua” e “a sociedade”, qualquer língua escrita é muito difícil de dominar. Frente à fala, que se vai aprendendo como parte do processo de comunicação (que inclui outras cousas), a língua escrita acarreta anos de aprendizado formal, desde a […]

A Grande Miragem circular

2 Agosto, 2007 (00:00) | escrita, língua, mercado simbólico, política |

Publicado em Vieiros Periodicamente, surgem à palestra pública das minorias que lêem, e que lêem sobre cultura, notícias em torno das afrentas ao “galego”. A pseudo-polémica social alimenta a incapacidade histórica colectiva de articular-se em verdadeira in-dependência (que é etimologicamente sinónimo de autonomia), se é que na realidade a Galiza como invento alguma vez a […]

Encruzilhada da língua

25 Abril, 2005 (00:00) | escrita, língua, mercado linguístico, mercado simbólico |

Publicado em Vieiros O movimento linguístico-cultural galego está na altura numa encruzilhada mais evidente do que jamais antes na nossa história sociolinguística. O movimento linguístico-cultural, que leva anos ultrapassando na prática (polas suas iniciativas, o seu dinamismo e o seu compromisso activo) a actividade institucional e pára-institucional que promove a fragmentação cultural da Galiza, debate-se […]

Todas as opções: Qual é o problema?

25 Marzo, 2005 (00:00) | escrita, língua, mercado linguístico |

Publicado em Vieiros Qual é o problema com escrever o galego oral em português, como lhe corresponde? Por circunstâncias históricas, tocou-nos um pedaço grande de língua galego-portuguesa distinto em alguns aspectos da tendência comum, e algumas pessoas (sempre muito poucas) na Galiza levam dous séculos a tentarem conciliar esta aparente aberração, a discutirem teimosamente sobre […]

Não penses no NH

7 Febreiro, 2005 (00:00) | escrita, língua |

Na essencialização da luta jurídica e social sobre o sentido dum famoso pseudo-topónimo, La Coruña, esquece-se (intereseiramente?) o outro aspecto crucial da questão que nos deveria ocupar: Coruña ou Corunha? Ou Crunha? Ou Acrunha? O poliglóssico nominho debate-se assim entre duas fontes de conflito semiótico interno, ambos símbolos de Língua e Nação, ambos susceptíveis de […]

Unidade, unidade, unidade

29 Novembro, 2004 (00:00) | escrita, língua |

Publicado em Vieiros “Por qué construir e defender desde o poder autonómico e desde a Real Academia Galega un galego diverxente das variantes faladas por 200 millóns de persoas en catro continentes entanto que se celebra en Rosario a universalidade e a unidade dun castelán calificado como infinitamente diverso?. Que razóns linguísticas poden xustificar este […]

O Meu Teclado Português

24 Outubro, 2004 (00:00) | escrita, língua |

Sinto-me como meninho com sapatos novos. Ou polo menos assim se dizia antes, quando éramos espanhóis, não apátridas. Este é o primeiro texto que escrevo com o meu novo teclado português. Sim, um teclado de computador desenhado para escrever a minha língua. Não tem Ñ. ESTE TECLADO NÃO TEM Ñ. Não vejo um Ñ diante […]

Sobre a Escrita, Contra o Populismo Normativo: Catorze Verdades de Fé dum Pseudo-Sociolinguista

2 Setembro, 2004 (00:00) | classe, escrita, língua, mercado linguístico |

Publicado no Portal Galego da Língua Na lista Assembleia da Língua, Gerardo Uz pergunta sobre o papel dos sistemas escritos na marginação dos grupos sociais. Concretamente, a questão é se a forma específica duma norma escrita afecta o seu possível conhecimento ou desconhecimento e, portanto, ulterior selecção social. Opino longamente: 1) Nas sociedades de classes […]